sábado, 28 de junho de 2014

A Direita é discriminada no Brasil, por quê? (Parte I/III)

Para que a direita ganhe espaço no espectro político-partidário, é necessário mudar atitudes, rever conceitos e investir pesado em marketing. O que está faltando para crescermos?

A direita é discriminada no Brasil, por quê?
Parte I Parte II - Parte III

Todos nós falamos dos erros da esquerda - que são muito graves e evidentes, mas que tal arrumarmos a bagunça de casa para tentar melhorar a nossa imagem para o público em geral? Visando tal possibilidade, a postagem tripla "A Direita é discriminada no Brasil, por quê?" visa fomentar um debate entre articuladores, escritores, pensadores, cidadãos, políticos e eleitores a respeito desse gigante campo de ideias chamado simploriamente de "direita", que ainda é pouco discutido no país.

ERROS DA DIREITA NO BRASIL - PARTE I

Erro 1 – Não deixar claro que o capitalismo ajuda os pobres e as minorias

A direita nacional é sensivelmente fechada à população em geral: enquanto estamos ocupados demais estudando os autores clássicos do liberalismo e do conservadorismo, o povão acha que odiamos gays, somos racistas, e queremos que os pobres morram de fome. Acho que devemos mudar essa imagem, não? Ou vocês acham que alguém vai conseguir respeito assim?

Minha sugestão é mostrar ao grande público que a direita tem excelentes propostas para o Brasil. Primeiramente, é preciso evidenciar os benefícios do livre mercado e do estado mínimo para a população, convencendo-lhes de que o capitalismo pode salvar os pobres de sua condição de miserabilidade, beneficiando-as independente da cor, do gênero ou da orientação sexual. Não se trata de um convencimento retórico, mas sim de mostrar-lhes a verdade: somente o capitalismo, e não o socialismo bolivariano, poderá trazer progresso social.

Capitalismo funciona sim! Precisamos convencer a população de que a miséria ocorre por FALTA de capitalismo, e não por EXCESSO de capitalismo.

Além disso, é preciso desconstruir a ideia errônea de que a direita é contra as minorias. Ao contrário de nós, a esquerda fornece um suporte extremamente confortável à esses nichos populacionais, convencendo-lhes de que "somente a revolução poderá acabar com o preconceito" que sofrem. Assim, quando um negro, uma mulher, um homossexual ou um índio se interessa por política, vai quase que automaticamente ser convertido à filosofia esquerdista.  Precisamos urgentemente tomar o papel dos revolucionários e dialogar com as minorias, fazendo-lhes compreender que a democracia, o livre mercado, e a igualdade de leis são os melhores antídios à discriminação.

Erro 2 – Inverter as prioridades brigando por bobagens

Quando o navio está afundando, não é hora reclamar da comida. O país está um caos, e não devemos brigar por futilidades. Mesmo assim, não é raro encontrar liberais e conservadores trocando farpas pela internet, como se fossem cão e gato. Um caso bastante famoso é a rivalidade – felizmente já superada, entre Olavo de Carvalho e Rodrigo Constantino, dois grandes e inteligentíssimos articuladores, que se desentenderam em 2012. Infelizmente, brigas também existem aos montes entre páginas do Facebook e sites reconhecidos na internet.

É verdade que existe um abismo entre os subgrupos de direita, sobretudo entre libertários e os conservadores. Liberdade de expressão é saudável, entretanto, precisamos ter a consciência de que estas rivalidades só nos dividem ainda mais, enfraquecendo a defesa para a esquerda, que ao contrário de nós, é unida e coesa. Enquanto brigamos, o PT dá altas gargalhadas com o nosso dinheiro em Brasília!

Olavo de Carvalho (filósofo), Lobão (músico) e Rodrigo Constantino (economista): quando as diferenças são respeitadas, a união dá certo.

É claro que ideias precisam ser debatidas. Tópicos como aborto, legalização das drogas e homossexualidade jamais serão consenso entre todos, mas espera aí! Será que custa fazer isso de forma respeitosa e harmônica? Quanto mais fraternidade política conseguirmos, mais força teremos para combater o nefasto lulo-chavismo que se instalou em nosso país. Nós temos prioridades!

Erro 3 – Reforçar estereótipos falsos de ignorância

Quando os esquerdistas nos acusam de “leitor de Veja” logo ficamos estarrecidos, pois sabemos que nosso conhecimento não se limita a uma revista de banca de jornal - que ao contrário do que eles dizem, é uma das melhores em circulação. No entanto, algumas pessoas de direita, mesmo quando têm razão, não conseguem sustentar um debate com esquerdistas fanáticos.

Isso ocorre justamente porque quase todo o conhecimento acadêmico é anticapitalista. Ao visitarmos qualquer biblioteca, somos deparados com uma enxurrada de livros de esquerda, que acabam fazendo a cabeça dos universitários novatos e perpetuando-se no sistema de ensino. Mas devemos ter consciência de que a direita também têm seus livros-chave, e que é só saber procurar.

Não adianta ser um anticomunista de fachada, se você não conseguir defender sua posição com firmeza.

Para não sermos vistos como "leitores alienados de Veja", precisamos estar muito bem preparados para o confronto de ideias, que diga-se de passagem, normalmente é feito à queima roupa. Discutir com esquerdistas é uma arte que consiste no desmantelamento sistemático de falácias, e perder a batalha significa ser "xingado" de "alienado". A propósito, sabe por que ninguém ganha a discussão com Olavo de Carvalho? Porque ele é o Chuck Norris da filosofia: estudou 50 anos sobre comunismo e leu mais de 2.000 livros sobre o assunto! É claro que provavelmente nunca vamos chegar à esse nível, mas saber o que está falando é fundamental.

O que acham? Será que exagerei demais? Como podemos melhorar estas questões? Deixe sua resposta nos comentários!
Comentários
9 Comentários

9 comentários :

  1. Senhores do DIÁRIO DE UM EX-COMUNISTA, quero avisá-los que é melhor um Estado sem Sociedade do que uma Sociedade sem Estado, pois sou totalmente favorável aos toque de recolher para menores de 18 anos, feitos pelos Juizados de Menores e pelos Conselhos Tutelares, das 19h00min às 06h00min (nos Horários de Verão, das 18h00min às 05h00min) do dia seguinte, aos endurecimentos das legislações penais, com penas de até 60 anos de prisão ou até mesmo prisão perpétua, exordialmente para crimes hediondos, à proibição total do pedolabor, mesmo artisticamente e esportivamente e à do escravolabor, à proibição total do namoro com menores de 18 anos e do entre eles, às câmeras de vigilância até nas salas de aula, exceto locais íntimos, como toaletes, salas de vigilância e outros, e assim sucessivamente. Por isso, é melhor uma segurança excessiva do que uma liberdade excessiva, da mesma forma que é melhor uma legislação draconiana do que uma frouxa. Agradeço-lhes de todo o meu coração! Desejo-lhes uma Próspera Copa do Mundo de Dois Mil e Catorze! Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara tu é doente? Ja pensou em procurara tratamento ? Sou um Liberal e respeito outros pontos de vida .Agredido nos valores da liberdade e ao contrario de você acredito que uma sociedades sem estado Trilhões de vezes melhor que um estado sem sociedade(concordo com você no que se refere a penas mais elevadas de 60 anos ou até perpetuas para determinados crimes. mas no que diz respeito a o cidadão honesto este deve ter o máximo possível de liberdades para sair de casa ,para consumir, em sua vida amorosa , em sua orientação sexual ,religiosa enfim para viver a vida como preferir. exceto é claro em assuntos mais delicados como abordo que cada caso deve ser avaliado em particular .Relembre-se a sua liberdade acaba onde começa a liberdade do próximo. .

      Excluir
    2. Pessoal, vamos manter o nível das postagens, sem desrespeito. "Comentem civilizadamente", por favor.

      Leonardo, entendo a sua boa intenção em preservar a moralidade juvenil. Talvez você tenha se referido em seu posicionamento a respeito do avanço desenfreado do marxismo cultural e da inversão de valores.

      Mas embora ele tenha sido desrespeitoso (conduta que desaprovo aqui), o Anônimo tem toda a razão. Bastiat dizia que o estado deve garantir a ordem (como você muito bem citou), mas também não deve interferir na vida privada das pessoas, e acho que isso sintetiza o modelo de sociedade que considero próximo do ideal. Se o estado não é eficiente para controlar empresas de petróleo, imagina para controlar a nossa sexualidade e nossa religiosidade?

      Excluir
  2. Senhores, quero avisá-los que o primeiro dos direitos humanos (respaldados pelas leis e pela Declaração de Universal dos Direitos Humanos de 1948 e até pela Bíblia Sagrada) é a vida, exordialmente a inocente, pois sem ela não existem sequer sociedades. As excludentes de ilicitude chamadas "estado de necessidade", "estrito cumprimento de dever legal", "exercício regular de direito" e "legítima defesa" são proteções aos direitos humanos respaldadas, não somente pelas leis e pela DUDH, mas também até pela Bíblia Sagrada. Também quero avisá-los que não falei nada de orientação sexual aqui. Direitos humanos é para todos os seres humanos inocentes (civilmente e/ou penalmente), não importando os credos, as cores, as orientações ou preferências políticas, as sexuais e outras, as raças, as religiões, os sexos e assim sucessivamente. Sobre os menores de 18 anos, o exordial direito deles a ser preservado é a vida, pois eles são o futuro da humanidade. Contudo, certos direitos humanos são exclusivos para maiores de 18 anos, como cargos, empregos, funções ou trabalhos, mesmo nos campos artísticos, esportivos ou políticos, conduções de veículos automotores, incluindo bicicletas elétricas e outros ciclomotores, circulações pelas ruas e por outros lugares, desacompanhados de seus pais ou de seus responsáveis entre as 19h00min a as 06h00min do dia seguinte (nos Horários de Verão, das 18h00min às 05h00min do dia seguinte), contas bancárias e outras, himeneus, namoros ou noivados, modalidades adultas (automobilismos, esgrimas, motovelocidades, paraquedismos e outras), votos e assim sucessivamente. Por isso, para preservarmos este exordial dos direitos humanos, chamado "vida", devemos combater com pulso firme os abortos, os antropotráficos, os assédios, as explorações, e outros crimes afetivos, os bullyings, os estupros, os genocídios, os homicídios, os narcotráficos, as pedofilias, as sabotagens, os terrorismos, os zootráficos e outros crimes e outras violações de direitos humanos. Agradeço-lhes de todo o meu coração! Desejo-lhes uma Próspera Copa do Mundo de Dois Mil e Catorze! Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo, concordo com a maioria das coisas que disse, inclusive em relação à preservação da vida. Principalmente quando você citou as questões mais graves como aborto, pedofilia, terrorismo, etc.

      Mas acho que proibir a circulação de jovens seria autoritário demais. A moralização da criança e do adolescente deve ser feita pela família através de educação, e não pela imposição do Estado.

      Você pode achar errado adolescentes circularem pelas ruas à noite (o que é um direito seu), mas não pode sobrepor sua vontade à outras famílias, em perigo ao carceramento das liberdades individuais.

      Obrigado e abraços!

      Excluir
  3. Os Estados Unidos têm uma das Constituições mais sucintas (7artigos e 27 Emendas Constitucionais) e têm um nível de proteção aos direitos civis que permite a pujância de sua economia e sociedade; após o 7 de Setembro editaram o Ato Patriota que levou a drástica redução ds liberdade, mas a venda de armas é livre, apesar de algum lunático que mata inocentes, mas logo é abatido, sendo, todavia solução melhor do que desarmar toda a sociedade por conta de eventos pontuais. Assim, ao invés de propor um Estado Policial, o melhor para o Brasil seria adoção de um verdadeiro capitalismo, muito menos burocrático, com seus riscos e vantagens, mas apto a atender as demandas da sociedade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil tem uma das maiores legislações do mundo. Advogados ganham rios de dinheiro exatamente porque é impossível para um cidadão conhecer todas as leis do país.

      Essa questão do desarmamento dá muito pano pra manga. Primeiro porque os países mais armados são exatamente os MENOS violentos (só esquerdista mesmo para achar que bandido vai comprar fuzil legalizado hahaha). E segundo porque um certo cara chamado Hitler e um outro aí chamado Stalin eram desarmamentistas ferrenhos. É muito mais fácil dominar uma sociedade indefesa.

      Excluir
  4. Nossa muito bom!!! Tenho fé que a direita vai ressurgir das cinzas neste país.

    ResponderExcluir
  5. Que a direita é melhor não há dúvida, o Estado é incapaz de reduzir a pobreza de modo sustentável, todos os Países que tentaram falharam, Cuba, Venezuela, Coreia do Norte. Agora o mercado é capaz de reduzir a pobreza com o desenvolvimento e o crescimento econômico, por isso o que falta para a direita é sem dúvida o MARKETING, pois os pobres são enganado e levados a ser escravos, acreditando sempre que são incapazes de prosperar, sempre esperando o governo lhe dar esmolas.

    ResponderExcluir

Não seja um esquerdista chato, comente civilizadamente!

Mais dúvidas? Pergunte-me em: http://ask.fm/diariodeumexcomunista